terça-feira, julho 11, 2017

Exercício da Contemplação

Inspiração, intuição, fé.
Você compreende o verdadeiro sentido dessas palavras?
Você apreende o real significado do que elas querem transmitir?

Emoção e razão se complementam.
Você não será capaz de sentir se não entender.
Você não poderá absorver se não estudar.

E você só conseguirá alcançar tais valores se realmente aprender.
E não pode aprender se não buscar conhecimento.

Falta sentido? Falta propósito?
Busque.
Mergulhe no seu interior.
Procura calma, paz interior, eliminação da dor?
Fale com você mesmo. Mesmo em voz alta.
Medite. Mesmo que não saiba.
Faça uma atividade que te acalme.
Dance.
Cante.
Faça algo que nunca fez.
Experimente.
Observe.
Contemple.
Desligue a internet.
Desligue o celular.
Desligue a televisão.
Perceba a natureza.
As coisas sutis que estão fora do nosso foco de atenção.
Raciocine.
Descubra coisas que pareceriam óbvias se você não as ignorasse.
Observe as leis naturais da vida.
E então perceba a ti mesmo.
Ainda há dúvida?
Continue buscando.
Converse com as pessoas.
Filosofe.
Respire fundo.
COntinue percebendo as coisas sutis.
A brincadeira de uma criança.
A singeleza da vida de um animal.
A brisa, a onda do mar.
O bom humor de uma pessoa cativante.
Uma pessoa idosa.
Alguém incrivelmente simples.
Uma voz gostosa de ouvir.
Um cheiro bom de comida.
Uma música que aconchega.
Coisas simples.

Se nada elimina seu desassossego, sua perturbação
Dê seu tempo
Mas não pare de tentar.
Fuja das memórias vazias
É tudo um treinamento da mente
Uma experimentação do novo
A criação de um hábito
Uma mudança
Uma transformação

Reveja
Redescubra a vida com um novo olhar
uma nova percepção
Descubra que você é capaz de ser feliz com nada
Pela simples razão de estar vivo.

É um processo
E tudo que sugere desenvolvimento, também requer tempo.
É nesse processo que você desenvolve a paciência, a resiliência, a temperança.

Crescimento, maturidade.
Você se descobre, afinal.
Você entende, então,
O que é intuição,
O que é fé
Com base na experiência, na vivência, naquilo que lhe é absolutamente real
Naquilo que lhe faz sentido
E então o propósito ali já vive.

Proteje suas convicções
E vigie-se contra a dispersão em virtude de aleatórios momentos
Perceba,
O que você acaba de descobrir
É fixo, imutável, atemporal.
Guarde essa verdade.

Já o que você vive (tudo o que viveu no passado e tudo o que viverá no futuro)
Todo o resto é passageiro.
O que importa é o que você guarda dentro de si.


a pior coisa são as memórias
elas nos sugam, parecem querer nos derrubar

me sinto a beira de um abismo
de dor profunda e sem fim

sei que não é assim.

que a vida nos proporciona tanta coisa boa, e real
mas as memórias querem anular essas verdades consoladoras
com camadas frias de ilusão e desilusão
até quando vão me persuadir

eu preciso me remover dessa mazela
eu gostaria muito de eliminar essa memórias
tolas, vazias
que um dia me preencheram tanto

e o erro foi todo meu
de como eu lidei com tudo isso
de como eu me entreguei perdidamente à ilusão
enquanto a realidade
era totalmente outra
fria e incalculavelmente outra.

se existe algo bom nisso tudo
é a lição
aprender que a gente pode se entregar
a alguém, mas não a um sentimento individual
que não flui, que não avança
é um tiro no escuro
mas é rápido e indolor
que vale mais que facadas prolongadas no peito
que provocam extensas hemorragias
é muito difícil se desligar das memórias
elas vêm involuntariamente, sem avisar
algo que as desencadeia
e quando vêm se derramam sem possamos controlar ou afugentar
é o terror