sábado, maio 28, 2016

As tendências viciantes e já exaustantes de 2016

O básico hoje é puro status: tem que ser Nike, adidas... 
A Carol Burgo explanou muito bem sobre essa "nuvem" que permeia a indústria da moda e acaba influenciando o estilo de muitas pessoas por um determinado período de tempo. Admiro quem rema contra a maré, mas confesso que sou adepta do grupo que segue o fluxo fashion, salvo - graças a Deus - algumas exceções. E é aqui que vou pontuar algumas dessas tendências que nos "pegaram" agora em 2016. 

terça-feira, maio 10, 2016

A graça pela natureza

Hoje eu fui surpreendida por uma borboleta azul. Quando nada parece ser importante numa terça-feira qualquer, um simples inseto  sobrevoou meu coração. Quando o vazio se instala, ou quando a solidão se faz companheira, a natureza traz calor ao espírito e também aprendizado.

O pobre inseto voava com dificuldade e pousou ao chão do estabelecimento onde eu almoçava. Com agonia tentava alçar voo, sem sucesso. Era o desespero daquele ser ínfimo, onde felizmente os brutamontes humanos não estavam passando. Eu assisti a todo aquele esforço aflita, querendo ajudar e com todo aquele meu tamanho, me sentindo impotente. Terminei de comer. Hora de ir embora. Ninguém por perto. Ela ainda ali. Queria muito ser a responsável pelo seu voo, pela sua liberdade. Pensei que ao me aproximar ela reagiria na hora, dando saltos. Fui e me agachei, ao lado daquele belo e minúsculo ser, exemplar tão raro de grandes asas do qual nunca me aproximei tanto, ofereci meu dedo indicador. Qual não foi minha surpresa, a borboleta logo me respondeu, erguendo a sua articulação em cima da minha pele. Ela aceitava ajuda. Ela esperava de mim. Por mais que meu corpo se mantivesse imóvel, meu coração se aquecia. Mas ela tinha dificuldades de levantar-se sobre os ares. Tentou o voo, mas caiu outra vez. Não hesitei em continuar na tentativa de ajudá-la.

Nisso um jovem apareceu e logo se prontou a ajudá-la também. Com toda a paciência do mundo, no meio da calçada, esperava a linda borboleta se apoiar nele para que ele pudesse conduzi-la ao ar. Eu assistia na torcida. Outra mulher também. Era o espetáculo da vida sobrevoando até os corações humanos, os mesmos que vivem apressados a correr pelas ruas sem saber onde pisam.

Dessa vez ela cambaleou, girou, tonteou, entrou em outros estabelecimentos, mas se encheu de força novamente e pegou ritmo. O garoto e eu víamos, complacentes, sua reerguida, que cada vez mais se distanciava de nós, a novas aventuras.

Dali eu vi que, o esforço, independente de como e quando, sempre é válido. Que até mesmo os pequenos seres estão ali, sem desistir de voar alto. E quando percebemos, observamos e contemplamos a grandiosidade da natureza, com toda a mais pura gratidão de fazer parte disso, tudo parece conspirar para que dê certo.

domingo, maio 01, 2016

Vento de maio



"Vai romper o mês de maio, não é hora de parar". Quanta coisa aconteceu de lá pra cá. E de algum modo, eu me sinto ainda mais forte. Tempo de nova transição. Tudo o que eu exatamente queria há 1 ano aconteceu. Sim, aconteceu. A mágica da vida existe. E não se pode deixar de lembrar. E nunca é hora de parar.

Novos projetos, novos caminhos. Não há de ser um mês fácil, mas o que espero dele é trabalho. Trabalho e cada vez mais aprendizado. O frio chegou, chegou com beleza, esperança, serenidade. Tem acontecido coisas que me tomaram numa reflexão profunda, sobre desapego, desprendimento, independência, amor e liberdade. Coisas que eu não apreendi totalmente e que eu devo reconsiderar. Estou contente com o rumo que as coisas têm tomado e com todas as coisas que têm me cercado. Grata por todos os sinais que têm ocorrido e por tão belas oportunidades que surgem. Grata até pelas coisas que perdi, nas quais pude ver que em nada me faziam falta. Tomando, aos poucos, real noção do que deve prevalecer.

Ainda sobre o mês, um dos tantos projetos é voltar a falar de assuntos diversos aqui nesse singelo blog. Meu lado jornalista volta e meia floresce, com vontade de discutir sobre comportamento, lifestyle, ideias novas e movimentos globais. Espero contribuir de alguma forma com um conteúdo bacana pra quem curte tal como eu sobre temas expressivos e afins. Vamos lá!